Publicidade

domingo, 20 de março de 2011

SOLIDARIEDADE

Dê a sua mão
A quem precisa
E verá então
O que a solidariedade
E a amizade
Lhe ensina.

Porque sempre
Que ajuda alguém
Está-se a ajudar
A si também.
Sempre que ajuda
Os outros
Encontra
Alguns trocos.

SURPRESA MUITO ESPECIAL

- Faça favor de entrar!
Estava mesmo à sua espera.
Já foste comprar
Aquela tal soera?

- Ih, esqueci!...
Mas não se preocupe,
Nem me culpe,
Tive coisas para fazer.

- Não me poderás dizer?

- Não. Nem pensar.
É uma surpresa
Que estou a preparar.

- Que bom!
Adoro.

- Mas pode ter a certeza
Que não é para Vossa Excelência.

NA REPROGRAFIA

As senhoras contínuas
Da Reprografia
São bastante pacientes
E já devem estar fartas
De tirar tantas fotocópias
Para toda esta gente,
Já nem devem poder ver
Mais papel à frente.

O AMOR E EU

Quem chorou as lágrimas que enxugou?
Não foi o meu amor, fui eu.

Quem mentiu as palavras que proferiu?
Não fui eu, foi ninguém.

Quem olhou o espelho em que se viu?
Cada um que viu o que era seu.

Quem alcançou a correr o que atirou?
Deve ter sido alguém.

Só quem suspira um desejo
Gasto de pudicidade
Desperta a necessidade
Dum doce beijo!

Só quem aspira liberdade
Força um novo ensejo
Lutando por um arpejo
Delicado ganhando vaidade.

sexta-feira, 11 de março de 2011

A NECESSIDADE DE ESCREVER

O que eu escrevo não tem de ser real,
Contar a verdade sem cessar.
Posso inventar, imaginando sempre
Na esperança de encontrar
Um novo continente de felicidade
Para abrigar o pensamento.

A escrita é um meio de viajar,
Uma necessidade minha e de cada poeta.
Escrever tem de ser útil,
Pelo menos para o autor.

A poesia é mágica
E faz milagres ao ser;
As palavras tornam mais rica
A metáfora da vida
Que encontro a correr
Nas muralhas da bruma perdida.

AGE

Age, o mundo lá fora
Espera por isso,
Nada te pode deter.

Vai, enfrenta o medo
E segue em frente,
Não deverás desistir.

Cai, mas levanta-te depois
Com garra e fulgor
Intimando o receio.