Publicidade

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

AMOR TÃO FORTE!

Minha alma amolece
Sempre que a tua aparece
Nem precisas falar
Meu coração conhece
As palavras e cresce
Em nós o verbo amar.

O tempo fica mais quente
E só te quero frente a frente,
A temperatura começa a subir
Todo o clima está diferente,
Nossa paixão é ardente...
Contigo nunca me vou desiludir.

REFRÃO
Tens pura magia
Que me faz delirar,
De noite ou de dia
Perco-me no teu olhar.

Por mais voltas que o mundo dê
Nunca vou deixar de te ter,
Só a ti minha alma vê,
Só por ti meu coração vai bater.


Vamos ficar neste caminho
Para sempre és meu destino.
Em ti só há paixão.
És uma infinita luz, meu brilho,
Ao ver-te sigo o teu trilho
Esperando a Perfeição.

A Terra e o Espaço
Juntam-se no nosso abraço
Nosso amor é tão forte!
Nossa história é tão linda
Que eu espero ainda
Cada vez mais sorte.

Refrão

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

CRÓNICA - Os Livros São Nossos Amigos

Desde criança, antes de aprender a ler, que tive contato com os livros, minha mãe lia-me muitos contos, alguns populares, outros mais modernos, desde a fantasia à aventura. Minha avó lia-me jornais. Mais tarde li-os sozinha e aprendi muito. Desde que se inicia na escola que há ligação aos livros e a descoberta de muitas letras,
palavras, números, cálculos, histórias, lugares e do nosso corpo.
Sempre vi um amigo num livro, pois muitas vezes refugiava-me na biblioteca a ler e a escrever, deixando os meus e minhas colegas de lado, eram parvos (as) e só queriam gozar. Sempre fui das melhores alunas e aprendi muito com os mágicos de folhas bem encadernadas, sei muitas histórias de diversos assuntos e inspiro-me facilmente.
Um leitor atento percebe que o livro é quase alguém ou um grupo de pessoas com cultura. Só os mais inteligentes sabem aproveitar o benefício de um livro. Seja de que tema for, um livro tem sempre mais valor do que uma conversa com algumas pessoas. Pois as páginas escritas com finura e beleza singular enriquecem as mentes e não costumam magoar, enquanto as pessoas, às vezes, parecem venenosas e más que quase nos açoitam com as palavras frias e amargas como pedras que vomitam desnecessariamente.
Muitos (as) escritores (as) anseiam por ver os seus escritos, que por vezes espelham os seus sonhos ou as suas vidas, nas bancas das tabacarias e livrarias para ganharem algum dinheiro e fama, demostrando ao mundo desocupado o que descobriram noutros livros ou noutras páginas da vida. É difícil, constantemente, cativar um (a)
leitor (a), é necessário vencer algumas batalhas e a primeira delas é consigo mesmo.
Depois tem de se convencer a editora que se está à altura de estar na frente de
combate sem sair ferido demais ou pronto para a sepultura. Ao ganhar-se várias batalhas e ao tornar-se um bestseller, vencendo a guerra, o (a) autor (a) transforma-
se na triunfadora deusa da literatura, desafiando as artes.
Agatha Christie é uma das que vendeu muito e tornou-se popular com policiais. Outra autora de destaque é a Danielle Steel que triunfou nos romances. E ainda há a J.K. Rowling que é uma das que cativou muitos leitores que adoram o mundo da fantasia.

Setembro

Para visualizar toda a revista, acesse o seguinte link:
http://www.varaldobrasil.com/media//DIR_158701/d248bcae97431e04ffff83327f000101.pdf

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

CRÓNICA BIOGRÁFICA - BAHIANO ROMANCISTA

Em todos os séculos existe um escritor ou poeta que se destaca. E, no século XX, foi Jorge Amado o escolhido. Nasceu no verão de 1912, no dia 10 de Agosto, em Itabuna, Bahia. Os pescadores trabalhavam nessa altura.
Alguns verões passaram e ele cresceu. Tornou-se um escritor, escreveu grandes romances, baseados na sua terra, mencionando as dificuldades passadas.
O seu primeiro romance, O País do Carnaval, foi publicado em 1931, e vendeu mais de mil exemplares, sendo feita uma 2ª edição.
Em 1935, publicou um romance que destacava a vida dos negros na Bahia, Jubiabá, e teve um grande impacto. Deu origem a uma radionovela em 1946, a duas peças teatrais, e foi adaptado para o cinema e para a TV, com produção franco-brasileira, sendo transmitido na França.
Em 1936, publica o romance Mar Morto, que foi escrito em quinze noites, depois de ele sair da prisão por motivos políticos. Recebe o Prémio Graça Aranha no mesmo ano. Esse romance foi traduzido para diversas línguas, além de transformado em radionovela, em 1940, e adaptado para o cinema, em 1957. Dorival Caymmi fez uma música sobre esse tema.
Em 1937, saiu a público Capitães de Areia. Além de muitas traduções, também foi adaptado para telenovela, em 1989, representado em três espetáculos de dança, na dácada de 80 - dois deles estrangeiros -, e esteve no cinema em 1971. Exibirão um filme sobre a obra recentemente.
Em 1956, saiu para o mercado o romance Gabriela, Cravo e Canela. Além de várias edições, também foi traduzido para inúmeras línguas e adaptado para telenovela na década de 80.
Em 1966, chega às livrarias o romance Dona Flor e seus Dois Maridos. Foi exibido em cinema no ano de 1976, assim como adaptado para mini-série de TV em 1977 e representado no teatro. Ganhou destaque não só pela história como também pelo conteúdo gastronómico da Bahia.
Em 1977, foi publicado o romance Tieta do Agreste, que apresenta o dia-a-dia de uma Bahia renovada, com a influência da cultura hippie e as ameaças das novas indústrias. Teve direito a uma mini-série na TV em 1990, com a atriz Betty Faria como protagonista. Anos depois, fizeram um filme baseado nessa famosa obra.
Em 1984, surge o romance Tocaia Grande, que falava da construção de um povoado no início do século, de suas gentes e da história da sua cidade. Foi traduzido em diversas línguas estrangeiras e, em 1995, teve adaptação para novela de TV.
Embora queira destacar o romancista que ele foi, é importante salientar que estudou Direito no Rio de Janeiro na década de 30, foi jornalista e político. Porém, sua faceta de escritor o elevou, principalmente depois de se tornar romancista. Não existe outro escritor como ele no Brasil. Vendeu milhares de livros e ganhou o Prémio Camões em 1994. A obra teve versões em braille e em áudio para cegos.
É hoje considerado o melhor romancista e o maior escritor brasileiro do século XX. Vinte e cinco romances deu a conhecer ao mundo, embora também tenha escrito poemas, contos, crónicas, biografias, autobiografia, memórias e livros infantis.
Em 1986, inaugurou-se em Salvador da Bahia, a Fundação Casa de Jorge Amado, que mostra as diversas obras literárias do autor, quer em livros, quer em manuscritos, revistas, traduções e fotografias.

Março