Publicidade

sábado, 27 de agosto de 2011

Soneto - À PROCURA DE AMOR

'Spero que o dia me dê forças pra viver,
Nem tenho alegria nem tenho tristeza,
Estou no escuro, na incerteza,
Agarrada a sonhos para não sofrer.

Acalmo os nervos, sinto firmeza,
Peco e rezo para a fé não perder;
Com uma ferida indolor a verter
Vivo a suspirar, ao amor estou presa.

Afundo os ansiosos pensamentos
Naquilo que toco e que afinal não é
Senão ilusão louca que me apanha.

Corro, paro, relembrando momentos,
Vejo multidões sem ninguém ao pé.
Amo o Senhor que me acompanha.

12 de Janeiro de 2009

Sem comentários: