Publicidade

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

CRÓNICA AUTOBIOGRÁFICA - O RENASCER DUMA ESCRITORA

No primeiro ciclo, comecei a escrever, principalmente sobre mim, nas composições da escola e no diário em casa. Além disso, lia muitas histórias de aventuras. era elogiada pelas professoras de Português pela minha criatividade. Participei num concurso literário com um conto baseado em factos reais e ganhei uma menção honrosa! A minha primeira vitória! Não estava nada à espera: aos 12 anos tornei-me escritora!

Então comecei a escrever em casa histórias com mais acção que os textos livres pedidos para a escola e a guardá-las para mim. Também desenhava algumas partes mais interessantes da aventura. Depois abandonei-as. Dizem que não dá futuro a ninguém a literatura e que só se gasta dinheiro sem lucrar!

Também nessa altura surgiu a poesia, baseava-me em canções de outros e cantarolava algumas canções e poemas meus, mesmo sem tocar nenhum instrumento, embora tenha aprendido flauta.

Depois de me apaixonar, a inspiração ficou mais forte. Com apenas 16 anos, preparei alguns poemas de amor para enviar para uma editora no Porto, mas eles, apesar de gostarem, não acharam muita qualidade, disseram que eu era muito nova e que precisava ler mais e aperfeiçoar a escrita.

Mostrei a alguns dos meus docentes os poemas, pois esperava que me dissessem o que estava mal e que pudesse publicar um livro o quanto antes. Estava com muita pressa de mostrar ao mundo o meu talento, as minhas inspirações e sentimentos! Mas demoraram bastantes anos para que isso sucedesse, muitas editoras receberam poemas e prosas minhas e não consegui cativá-las a ponto de publicar os meus textos e nem arranjei um patrocinador.

Participei em diversos concursos literários no Brasil e em Portugal sem que obtivesse bons resultados, mas também ganhei alguns. E em Maio de 2011 aconteceu a publicação em livro dos poemas que enviara para um concurso, 50 poemas de amor, alguns que já eram bastante visualizados. Também fui escolhida para a antologia de poesia do escritor Valdeck. Fiquei muito contente com o que me sucedeu e já planeio outro livro.

Qualquer jovem poeta ou escritor(a) tem dificuldade em se inserir na sociedade como tal, devido à crise financeira em que o mundo se encontra e à falta de interesse de muitas pessoas pela leitura e escassez de tempo. Mas não se pode desistir, havemos de conquistar leitores com o passar do tempo, pois a natalidade não é nula e, com o decorrer dos anos, mais crianças se interessarão pela leitura e escrita.

Outubro de 2011

Sem comentários: