Publicidade

domingo, 3 de outubro de 2010

ÀRVORE

O canto da árvore
É dito sem vírgulas,
Pontos, travessões
Ou pequenas pausas;

Dum só fôlego
Vemos se desenrolar
Uma narrativa interessante,
Sábia, augusta, antiga
E bela, de nobres sentimentos.

Cada árvore tem algo
Para nos contar
Basta que a saibamos
Decifrar.

Um dia só pode
Amanhecer na perfeição
Se uma sombra de árvore
Me aquecer o coração.

Quem não respira
O ar puro da natureza
Com poucos anos de vida fica,
Perde o brilho e a destreza.

Sem comentários: